quarta-feira, 20 de junho de 2012

Aguapé

Bioindicadora de Poluição Fluvial


O crescimento urbano tem acarretado alguns problemas ambientais, como a poluição dos rios. Essa poluição está relacionada aos efluentes urbanos, às atividades agropecuárias e às atividades industriais que são despejadas erroneamente, sem uma prática sustentável. Exemplo desse fato, é a bacia do Rio Cachoeira no sul da Bahia, rio este que frequentemente encontra-se carregado de aguapé, Eichhornia crassipes (Mart.) Solms., por todo seu curso d'água (fig. 1).

 
Fig. 1. Aguapé, Eichhornia crassipes (Mart.) Solms., família Potenderiaceae.

Aguapé é um tipo de uma planta aquática, flutuante, que é comumente encontrada em rios de fluxo lento ou lagoas. Sua reprodução é realizada por meio vegetativo, produzem também frutos e semestres em abundância. Possui diversas funções que ajudam na “despoluição” de ambientes de águas eutrofizadas, como a capacidade de absorver e acumular poluentes, "filtrando" a água; além de evitar a incidência da luz direta do sol sobre a lâmina, impedindo que a água fique extremamente esverdeada.

Por não se conhecer corretamente a sua biologia e seus múltiplos benefícios para a comunidade aquática, os iguapés são considerados equivocadamente, na maioria das vezes, uma praga por prefeitos e autoridades brasileiras e de outros países. Quando a planta se prolifera em rios ou lagoas de grande extensão seu manejo torna-se mais difícil. Em corpos d’água eutrofizados, onde há um baixo número de animais como peixes e mamíferos aquáticos herbívoros a planta reproduz-se com muita facilidade, ocupando assim toda a área do rio ou lago, por exemplo, o que impede a proliferação de algas responsáveis pela oxigenação da água.

Uma purificação eficiente só se consegue em lagoas ou banhados bem dimensionados e manejados. Mas como a planta pode ser sistematicamente controlada? Em Itabuna, no sul da Bahia, a Comissão Técnica de Gestão Ambiental do Centro de Pesquisas do Cacau da CEPLAC reconheceu neste ano bases cientificas de um projeto apresentado pelo engenheiro agrônomo Agamenon Farias, e apoiado pela Emasa (Empresa Municipal de Água e Saneamento), de revitalização do rio local, o Rio Cachoeira (fig. 2), e o processo de produção de adubo orgânico a partir dos aguapés, conhecidos por baronesas na região. Outra medida utilizada em algumas cidades é fazer barreiras flutuantes para manter essas plantas afastadas de pontos sensíveis, como turbinas.

Fig. 2. Proliferação de aguapé no rio Cachoeira, município de Itabuna, BA.

Sendo assim, o aguapé pode ser considerado um indicativo de poluição, ao mesmo tempo em que representa um instrumento para a purificação de águas. Se a sua proliferação atinge níveis muito elevados a ponto de ser considerado um problema para o município, a solução não está na simples eliminação ou não introdução, está no manejo.

LARISSA SILVA LIMA
THIÁRA SOUSA PAIM

Referências


Aguapé: planta da Amazônia é arma poderosa contra poluição. Disponível em: <http://www.sunnet.com.br/home/Noticias/Aguape-planta-da-Amazonia-e-arma-poderosa-contra-poluicao.html>.

FONTES, I. B. M.; ARAUJO, Q. R.; SEVERO, M. I. G.; OLIVEIRA, A. H. Avaliação dos Micropoluentes Inorgânicos da Estação de Tratamento do Esgoto de Ilhéus (Bahia). Londrina: Geografia, 2009. vol. 18. nº 1.


JOSÉ LUTZENBERGER. Em Defesa do Aguapé. Porto Alegre: Poder. L&PM Editores Ltda.,1985. Disponível em: <http://www.fgaia.org.br/texts/t-aguape.html>.


RODRIGUES, L.; LOURENÇO, N.; MACHADO, C. R.; JORGE, M. R.; JACINTO, J. J. Modelos espaciais de pressão sobre os recursos naturais: O exemplo da Mata Atlântica no Sul da Bahia, Brasil. Barcarena - Portugal: Centro de Investigação da Universidade Atlântica, Antiga Fábrica da Pólvora de Barcarena. Disponível em: <http://repositorio-cientifico.uatlantica.pt/bitstream/10884/358/1/2004_Modelos_espaciais_press%C3%A3o.pdf>.


WERNER E. ZULAUF. O meio ambiente e o futuro. São Paulo: Estudos Avançados, 2000. vol.14. nº 39.

5 comentários:

  1. Adorei essa reportagem sobre a região. Parabéns pelo trabalho de você aqui!

    Ass.: Joaquim Lemos

    ResponderExcluir
  2. como faço pra comprar umas mudas dessa planta...???jubilinomorro@hotmail.com, desde ja agradeço.

    ResponderExcluir
  3. A planta impede apenas a limpeza do lodo encarecendo a limpeza do rio, este rio normalmente é muito poluido por esgoto, tendo diversos nutrientes, favorecendo o crescimento da planta que so cresce nesse tipo de ambiente. Junto com essa planta surgem as algas, se houver peixe ou algum ser vivo nessa agua, a manutenção da alga ira tirar todo oxigenio da agua, entao tem que escolher que tipo de vida queremos em um rio.
    Susana Rodrigues Pereira - estudante de engenharia

    ResponderExcluir
  4. Nao sou biologo, mais as reportagens da globo querem transformar um despoluidor natural em vilao. Alguem pode retransmitir essa materia aos pobres de espirito no quesito a natureza nos caso a agua dos rios pedem socorro.

    ResponderExcluir
  5. Fiquei um longo tempo observando a movimentação dos iguapés num rio em Guararema.É como um balé.Elas afundam e voltam à superfície!! Poderia explicar? Obrigada

    ResponderExcluir